sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Paula Hering e Felipe Arcaro- "Quando ele passa"


Eric Clapton - Songs For Robert Johnson

When You Got A Good Friend

Caminhar com o corpo inteiro ( Método Feldenkrais)

Andar é a  o último acto de um processo que  atravessa todas as fases da evolução humana. O ser humano passa por diversas etapas até chegar à posição vertical e  caminhar...

Tão bonita , esta sequência.


Bernardo Sassetti - Time for Love


António Fernando dos Santos ( Tossan)-

 Hoje falaram-me de um livro escrito e desenhado por  António dos Santos , algarvio  de Vila Real de Santo António , conterrâneo  e amigo de António Aleixo .
  Tossan , que além de  poeta, pintor, ilustrador, caricaturista era humorista , contava histórias como poucos   Raul Solnado e Mário Viegas disseram que “poderia ter sido um homem do humor” e o maior actor cómico da segunda metade do século XX. ( ler mais em https://almanaquesilva.wordpress.com/tossan/.wordpress.com/)
 
Existe um registo audio  de 1969  em que o autor  declama o  poema  " Ode ao Futebol"  no programa de televisão ZIP-ZIP : 


ODE AO FUTEBOL

“Rectângulo verde, meio de sombra meio de sol

Vinte e dois em cuecas jogando futebol

Correndo, saltando, ziguezagueando ao som dum apito

Um homem magrito, também em cuecas

E mais dois carecas com uma bandeira

De cá para lá, de lá para cá

Bola ao centro, bola fora.

Fora o árbitro!

E a multidão, lá do peão

Gritava, berrava, gesticulava

E a bola coitada, rolava no verde

Rolava no pé, de cabeça em cabeça

A bola não perde, um minuto sequer

Zumbindo no ar como um besoiro,

Toda redonda, toda bonita

Vestida de coiro.

O árbitro corre, o árbitro apita

O público grita

Gooooolllllooooo!

Bola nas redes

Laranjadas, pirolitos,

Asneiras, palavrões

Damas frenéticas, gordas esqueléticas

esganiçadas aos gritos.

Todos à uma, todos ao um

Ao árbitro roubam o apito

Entra a guarda, entra a polícia

Os cavalos a correr, os senhores a esconder

Uma cabeça aqui, um pé acolá

Ancas, coxas, pernas, pé,

Cabeças no chão, cabeças de cavalo,

Cavalos sem cabeça, com os pés no ar

Fez-se em montão multidão.

E uma dama excitada, que era casada

Com um marinheiro distraído,

No meio da bancada que estava à cunha,

Tirou-lhe um olho, com a própria unha!

À unha, à unha!

Ânimos ao alto!

E no fim,

perdeu-se o campeonato!”


Tossan gostava muito de animais, especialmente de cães e em 1959 publicou Cão Pêndio , " coletânea de trocadilhos fáceis e difíceis sobre a vida canina. " 




 Tossan gostava muito de animais, especialmente de cães e em 1959 publicou Cão Pêndio , " coletânea de trocadilhos fáceis e difíceis sobre a vida canina. "

 Mais de meio século depois surge a segunda edição:
  (...)" decidimos dar nova vida a este precioso livrinho da autoria de um artista em nada inho, antes pelo contrário, bastante ão, ão. O livrinho que parecia cãodenado ao esquecimento, à semelhança do seu autor, é um Cãopêndio onde o leitor entra em cãotacto com raras espécies caninas representadas pela característica linha de Tóssan, o cãostrutor desta cómica galeria onde somos mesmo cãovidados a deixar a nossa cãotribuição numa página expressamente deixada em branco para o efeito, algures entre o cãoserva e o cãodeirão. Podem fazer a cãoneta, mas acãoselhamos lápis. Fiquem então na cãopanhia do humor de Tóssan e dos sempre fiéis «amigos cães, responsáveis por esta cão incidência.» "
( http://www.bruaa.pt/loja/caopendio/ onde também se podem ver algumas imagens)


 
    

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Nina Simone - Save Me

Isn't she wonderful ?



Festival de jazz de Antibas , Juan-Les-Pins, França, 29 de Julho de 1969.

sábado, 13 de janeiro de 2018

"É muita dor, num é não?" ( Elis)




Quando olhaste bem nos olhos meus

E o teu olhar era de adeus

Juro que não acreditei

Eu te estranhei

Me debrucei

Sobre teu corpo e duvidei

E me arrastei e te arranhei

E me agarrei nos teus cabelos

Nos teus pelos

Teu pijama

Nos teus pés

Ao pé da cama

Sem carinho, sem coberta

No tapete atrás da porta

Reclamei baixinho


Dei pra maldizer o nosso lar

Pra sujar teu nome, te humilhar

E me vingar a qualquer preço

Te adorando pelo avesso

Pra mostrar que inda sou tua

Só pra provar que inda sou tua

Chico Buarque / Francis Hime