terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Make You Feel My Love - Bob Dylan (Video Charlie Chaplin - City Light)

The storms are raging on the rollin' sea
And on the highway of regrets
The winds of change are blowing wild and free
You ain't seen nothin' like me yet.



 Peter Head on piano


 * There are thousands covers of this song, most of them following Adele cover...But this is a Bob Dylan song and no one sings Dylan like Bob did....that's the way I feel it*

sábado, 23 de janeiro de 2016

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Brian Eno - By This River

You talk to me
as if from a distance
And I reply
With impressions chosen from another time, time, time,
From another time.


sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Edifice - meaningful partnership through dance

Edifice is about relationships built very much like a house. Isolated forms bend, flow and connect to create a unified mass. A structure that shelters and nurtures those within.


"I think showing a woman allowing a man to not have to always be strong and dominant all the time, but to be able to be vulnerable and supported is really beautiful." ( Jillian Adel )

Directed, shot and edited by Rogerio Silva
Choreographed and performed by Carmine De Amicis and Harriet Waghorn
Music by Alaskan Tapes "Then Suddenly, Everything Changed 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

sábado, 2 de janeiro de 2016

Moves To Combat Holiday Stress - Kristi Cooper


 Kristi Cooper it's a wonderful Pilates and well known Pilates teacher,
Her simplicity and the way she explains the exercises are remarkable. She is "sooo" expressive, no boring , funny, imaginative, informal. Her workouts are just great and challenging.

When I see her classes on Pilates Anytime, I always think she is talking to me. She motivates me to practice.
Awesome!!

 

Memórias das Infâncias



Gostávamos muito de doce de framboesa

e deram-nos um prato com mais doce de framboesa

do que era costume

mas

a nossa criada a nossa tia-avó no doce de framboesa

para nosso bem

porque estávamos doentes

esconderam colheres do remédio

que sabia mal

o doce de framboesa não sabia à mesma coisa

e tinha fiapos brancos

isso aconteceu-nos uma vez e chegou

nunca mais demos pulos por ir haver

doce de framboesa à sobremesa

nunca mais demos pulos nenhuns

não podemos dizer

como o remédio da nossa infância sabia mal !

como era doce o doce de framboesa da nossa infância !

ao descobrir a mistura

do doce de framboesa com o remédio

ficámos calados

depois ouvimos falar da entropia

aprendemos que não se separa de graça

o doce de framboesa do remédio misturados

é assim nos livros

é assim nas infâncias

e os livros são como as infâncias

que são como as pombinhas da Catrina

uma é minha

outra é tua

outra é de outra pessoa

 Adília Lopes
(O Decote da Dama de Espada
s )


*Lá em casa também havia imensas( crescem como mato ,quase não precisam de cuidados) e quase todos gostavámos de doce de framboesa.... mesmo que não gostássemos, comíamos . Todos os dias. Havia tanto... tinha que se lhe dar vazão.

Não nos deu a veia. .. Aliás a Adília Lopes é única .

Com o passar do tempo e a chegada dos netos, as pessoas tornam-se mais tolerantes, amaciam. Assim também lá em casa: o doce deixou de ser impingido .


Um dia, à hora do lanche , entre uma criança de quatro anos e a sua avó:
- Quer compota, Manel?
- Sem pota, Vó , obrigado.

Que me lembre, foi este o diálogo mais poético que, entre nós, aconteceu a propósito de framboesas.
LCB