quinta-feira, 23 de julho de 2015

Por Una Cabeza de Carlos Gardel

 The Melody...

They say this it's not Tango, it lacks the feelings, the emotion and the passion of tango . Well, I'm not from Argentina, I feel this is a magical performance.


Itzhak Perlman(!!!!!) - Violin
John Williams- conductor





The song and the Lirycs,




Por una cabeza

De un noble potrillo

Que justo en la raya

Afloja al llegar

Y que al regresar

Parece decir:

No olvidéis, hermano

Vos sabés, no hay que jugar




Por una cabeza

Metejón de un día

De aquella coqueta

Y risueña mujer

Que al jurar sonriendo

El amor que está mintiendo

Quema en una hoguera

Todo mi querer




Por una cabeza

Todas las locuras

Su boca que besa

Borra la tristeza

Calma la amargura

Por una cabeza

Si ella me olvida

Qué importa perderme

Mil veces la vida

Para qué vivir




Cuantos desengaños

Por una cabeza

Yo juré mil veces

No vuelvo a insistir

Pero si un mirar

Me hiere al pasar

Su boca de fuego

Otra vez quiero besar




Basta de carreras

Se acabó la timba

¡Un final reñido

Ya no vuelvo a ver!

Pero si algún pingo

Llega a ser fija el domingo

Yo me juego entero.

¡Qué le voy a hacer!

 Alfredo Le Pera / Carlos Gardel



...And the movies clips.




sexta-feira, 17 de julho de 2015

A liberdade individual não pode existir senão depois de conquistada...



Diálogos sobre a tirania


A liberdade individual não pode existir senão depois de conquistada a liberdade social, e, principalmente, a económica. De que me serve a liberdade de escrever um romance se, por uma questão de temperamento, só posso escrever concentradamente, e tenho de ir para um escritório todos os dias?

Ora a liberdade económica existe pela existência do capital. É impossível universalmente; e o socialismo, em vez de ser uma libertação económica, é uma ausência completa de liberdade. O socialismo torna extensivo a toda a gente o servismo da maioria. Não são os escravos que querem libertar-se: são os escravos que querem escravizar tudo. Se eu sou corcunda, sejam todos corcundas,.

É esta a razão por que, sem querer mas sabiamente, a Natureza fez o homem construir o privilégio. A aristocracia é a maneira de se poder pensar livremente. Disse-se que a maioria dos escritores tinham sido favorecidos pelas circunstâncias financeiras domésticas. Tomou-se isso por lamentável para os que não foram favorecidos. Mas o contrário é que é o sentimento bom: há que regozijar-nos com os que foram escolhidos, e não que lamentar os que o não foram, a não ser sentimentalmente.

Bem diziam os homens da Idade Média, concebendo a liberdade, não como um direito, mas como um privilégio.


Fernando Pessoa

1918 (?)


Ultimatum e Páginas de Sociologia Política. Fernando Pessoa. (Recolha de textos de Maria Isabel Rocheta e Maria Paula Morão. Introdução e organização de Joel Serrão.) Lisboa: Ática, 1980. -

Wagner Tiso Trio | Samba de uma nota só (T. Jobim / N. Mendonça)

E quem quer todas as notas: ré, mi, fá, sol, lá, si, dó.
Fica sempre sem nenhuma, fique numa nota só!

Wagner Tiso - piano
Vitor Biglione - guitarra
Marcio Malard - violoncelo

sábado, 11 de julho de 2015

Pedro Abrunhosa - DVD Coliseu 2011 - "É Preciso Ter Calma" com Edgar Caramelo

"Coméquié? Põe-tem-pé!"
Edgar Caramelo, no Sax, de corpo e alma. Fabuloso!



(...)
Juízo, não tenho medo, não temo
só tremo de pensar...
mas não penso, e tenso te faço viajar
com a voz.
Lembro Novembro passado
quando os dias eram curtos
e as noites de fado,
rasgado, cantado, sentido.
No Deus que criámos
aprendemos a viver, de cor,
meu amor,
e agora, é hora,
tudo fica por fazer,
quero-te dizer mais uma vez
que te amo, talvez, te quero,
te espero e desespero por ti,
e que isso só por si
me chega p'ra viver,
mesmo quando só houver...
silêncio...
imenso,
e dor, e pior meu amor,
a lembrança que descansa
os olhos teus nos meus...
Adeus.
Pedro Abrunhosa

Posture (1928)


Excelente!
( velhos são os trapos...)

terça-feira, 7 de julho de 2015

O Povo Que Ainda Canta - Alto Minho

 É de muito  valor o programa, de Tiago Pereira, que passa na RTP2.
  Obviamente o 14º episódio tem, para mim, um sabor especial. 

.

domingo, 5 de julho de 2015

"NÃO", disseram hoje os Gregos

  CANTICO NEGRO

"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?


Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.


Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...


Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!

José Régio

  

Teoria Prática dos domingos- Ricardo Tété

Porque serão os Domingos assim tão compridos?

sábado, 4 de julho de 2015

Brilhante!

"Portugal é e devia ser o unico sítio onde o meu voto manda, mas alguém anda a encolher o meu voto e o meu voto manda cada vez menos. Não gosto, não aceito e preotesto. O voto é a arma do Povo. "